Ricardo Fernandes, o novo presidente da Associação dos Criadores de Nelore do Nordeste, concedeu entrevista ao Giro do Boi para falar sobre os novos desafios

CRIADO EM 26/10/2021 ÀS 12H38 – ATUALIZADO EM 26/10/2021

Nelore do Nordeste: nova diretoria do biênio 2022/23 quer fortalecer associados
Foto divulgação

O Giro do Boi desta terça, dia 26, teve como um dos destaques entrevista com o pecuarista selecionador Ricardo Fernandes, recém-eleito como novo presidente da Associação dos Criadores de Nelore do Nordeste para o biênio 2022/23. E apesar de seu mandato começar oficialmente no início do próximo ano, a nova diretoria assumiu imediatamente o trabalho para superar todos os desafios.

Fernandes listou uma série de obstáculos pela qual a entidade passou nos últimos anos que levaram ao desestímulo dos selecionadores e à quase extinção da ACNN. “Quando decidimos reativar a associação, nós tínhamos apenas sete sócios em dia”, revelou. O novo presidente da Nelore do Nordeste reconheceu, então, o apoio da Nelore do Brasil, a partir do próprio presidente da ACNB, Nabih Amin El-Aouar, para a retomada do prestígio da entidade.

Leia também:

Renovada, Nelore Nordeste terá Ricardo Fernandes como presidente no biênio 2022/23

MUDANÇA DE ESTRUTURA

Fernandes informou que para que a nova diretoria fosse capaz de reverter a situação, envolvendo mais os estados da região, uma alteração do estatuto foi feita, criando cargos de conselheiros consultivos para os estados de Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

“Reduzimos a diretoria para ficar mais enxuta e mais produtiva. E o momento é muito bom. A gente já assumiu, na verdade, a eleição foi em 13/10, oficialmente, e dia 14 a gente já começou a trabalhar”, animou-se.

Segundo Fernandes, a retomada da atividades de Nelore do Nordeste ocorre juntamente a uma transição de gerações na pecuária. “A gente vem percebendo as novas gerações de filhos e netos dos criadores, o entusiasmo com que eles chegam, com sugestões, apoiando as ‘maluquices’ da gente de início, o que é normal depois de uma mudança. […] A Nelore do Nordeste quer que todos participem, a gente quer valorizar tudo. A gente acredita que na hora que a associação cresce, ela vai indiretamente fortalecer o associado. A associação existe para fortalecer o associado, não é para coisas individuais. Eu acho que a gente tem essa missão nesse momento”, analisou Ricardo.

O NELORE É FLEX!

De acordo com Fernandes, a raça tem potencial para ir ainda mais longe nos rincões do Nordeste brasileiro pela sua características “flex”: vai bem na criação da raça pura, no cruzamento, seja na criação a pasto ou na conversão de alimento em sistemas mais intensivos.

“A gente quer fazer esses animais chegarem aqui no Nordeste com Nelore a pasto, terminar confinado, mas sobretudo valorizar o nosso produto”, comentou.

CARTÃO DE VISITAS

A Nelore do Nordeste já tem, inclusive, data para a primeira amostra de seu novo modelo de trabalho, aceitando convite de Secretaria de Desenvolvimento Agrário de Pernambuco para ser a entidade por trás da Exposição de Animais 2021 no Parque de Exposições do Cordeiro, em Recife, capital do estado. O evento está marcado para 11 a 19 de dezembro deste ano.

Outra proposta da nova diretoria é realizar em breve a primeira Expogenética Nordeste, conforme revelou Fernandes.

Fonte: girodoboi.com.br