Em dezembro deve ser inaugurada a fazenda que estará sob chapéu do Instituto de Zootecnia do Estado de São Paulo

CRIADO EM 21/06/2022 ÀS 13H55 – ATUALIZADO EM 21/06/2022 ÀS 13H48

Boi mais sustentável do mundo virá de fazenda modelo do IZ

boi mais sustentável do mundo já tem um endereço certo. Ele deve vir de uma fazenda que está prestes a ser concluída ainda este ano. Trata-se do Centro de Pesquisa em Pecuária Sustentável, no município de São José do Rio Preto (SP).

O projeto é do governo do Estado de São Paulo, através do Instituto de Zootecnia (IZ). O órgão faz parte da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), ligada à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.PUBLICIDADE

Nesta terça-feira, 21, a zootecnista Renata Branco, pesquisadora do IZ esteve no programa Giro do Boi. Ela deu alguns detalhes desse projeto que deve ser inaugurado em dezembro deste ano.

“Esse centro foi projetado cadeia produtiva nessa temática tão importante. Trata-se de um centro virtual de neutralidade climática da pecuária de corte nas regiões tropicais. O nosso objetivo é que tenhamos dados nas mãos das regiões tropicais”, diz Branco.

Lote de bovinos a pasto em áreas de pesquisa da APTA. Foto: Divulgação

Lote de bovinos a pasto em áreas de pesquisa da APTA. Foto: Divulgação

VEJA TAMBÉM | São Paulo lança primeiro centro de pesquisa de pecuária sustentável do País

O centro de pesquisa

A nova unidade de pesquisa não será apenas uma vitrine da mais alta tecnologia da pecuária sustentável para o Estado de São Paulo, mas para todo o País.

A fazenda modelo terá uma área de 220 hectares e receberá um investimento inicial de R$ 20 milhões.

A partir deste centro, serão desenvolvidas e avaliadas tecnologias que possam ajudar a reduzir a emissão de gases de efeito estufa de bovinos. E mostrar como o boi brasileiro é o mais sustentável do mundo.Animais em experimento na APTA sobre trato nutricional durante a desmama. Foto: Divulgação

Animais em experimento na APTA sobre trato nutricional durante a desmama. Foto: Divulgação

As pesquisas estarão relacionadas a aditivos nutricionais para bovinos em confinamento, recria intensiva, terminação intensiva a pasto, e confinamento.

O centro já faz parte de uma parceria público-privada, segundo a pesquisadora. Entre as empresas que estão participando estão a JBS, a DSM, a Silvateam e a Alltech

“Toda a cadeia produtiva, desde a indústria de nutrição animal até a indústria frigorífica entende que o tema da pecuária sustentável é muito importante”, diz Branco.

Vista aérea de um dos pólos regionais da APTA, o de Colina, que é o berço do boi 7.7.7. Foto: Reprodução

Vista aérea de um dos pólos regionais da APTA, o de Colina, que é o berço do boi 7.7.7. Foto: Reprodução

Vitrine tecnológica

Além de ser um espaço de desenvolvimento de estudos, o centro servirá como uma vitrine tecnológica constante para o pecuarista. Ele poderá visitar a propriedade para saber exatamente como tudo funciona.

O Centro de Pesquisa em Pecuária Sustentável faz parte do plano estadual de neutralidade climática e vai ajudar o Brasil a cumprir o acordo internacional de reduzir em 30% a emissão de metano nos próximos anos.

COMPARTILHAR ESTA NOTÍCIA

LEIA MAIS SOBRE

Fonte: girodoboi.com.br