imagem internet – divulgação

A notícia de que a China poderia suspender as compras de carne bovina da Austrália e da Nova Zelândia trouxe esperança para melhora nos preços.

De acordo com o analista de Safras & Mercado Fernando Henrique Iglesias, os frigoríficos ainda desfrutam de uma posição muito confortável em suas escalas de abate, com grande volume de animais a termo na composição dessas escalas. Com isso aumenta a possibilidade de novas tentativas de compra abaixo da referência média, que tendem a se concretizar, por parte dos frigoríficos.

“O pecuarista não tem grande capacidade de retenção neste momento, por se tratar de animais terminados em confinamento”, diz Iglesias.

Por outro lado, a notícia de que a China poderia suspender as compras de carne bovina da Austrália e da Nova Zelândia trouxe alguma esperança para recuperação dos preços. No entanto ainda não houve nenhuma confirmação.

Dessa maneira, em São Paulo (SP), a referência para a arroba do boi fechou com preço de R$ 300. Já em Dourados (MS), os preços caíram para R$279. Ao mesmo tempo, em Cuiabá (MT) a arroba de boi gordo despencou para R$ 274. Simultaneamente, em Uberaba (MG), preços fixados em R$ 280. Em Goiânia (GO), os preços do boi caíram ainda mais ficando em R$ 275 a arroba. Boi: mercado atacadista O mercado atacadista de boi gordo iniciou a semana apresentando com preços acomodados. Segundo Iglesias, a tendência de curto prazo ainda remete a retração dos preços, em linha com a lenta reposição entre atacado e varejo durante a segunda quinzena do mês

As exportações de carne bovina fresca, congelada ou refrigerada do Brasil renderam US$ 558,020 milhões em agosto (10 dias úteis), com média diária de US$ 55,802 milhões.

Já a quantidade total exportada pelo país chegou a 88,806 mil toneladas, com média diária de 8,880 mil toneladas.

O preço médio da tonelada ficou em US$ 6.283,60

. Em relação a agosto de 2021, houve ganho de 19% no valor médio diário da exportação, alta de 7,6% na quantidade média diária exportada e valorização de 10,6% no preço médio. O quarto dianteiro do boi continuou com preço de R$ 16,80, assim como a ponta de agulha também continuou cotada a R$ 16,75. Por fim, o quarto traseiro do boi ficou cotado em R$ 21,80 por quilo.

Fonte: Agência Safras

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com