Negócios

Imagem internet – Globalfert

Os investimentos em mineração na Bahia continuam em alta. Após o Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) divulgar um aumento na previsão dos valores para os próximos quatro anos, a Galvani anunciou o investimento de aproximadamente R$ 340 milhões para implementação da nova fase de operação da unidade de mineração de fosfato para produção de fertilizantes em Irecê (BA).

Na última semana, executivos da Galvani e da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM) reuniram-se para debater os avanços para a implementação da nova fase do projeto, que, atualmente, está no licenciamento ambiental e desenvolvimento de rota tecnológica.

A Galvani é a responsável pelo projeto e calcula investir aproximadamente R$ 340 milhões na nova fase de operação da unidade baiana, cujos direitos minerários pertencem à CBPM. Segundo o órgão, o empreendimento é sustentável por permitir o máximo aproveitamento do recurso, com geração praticamente zero de rejeito.

Para o presidente da CBPM, Antônio Carlos Tramm, o projeto é essencial para a redução da dependência brasileira da importação de fertilizantes. “Nos últimos anos, ficou muito evidente o quanto a dependência de fertilizantes, em especial o NPK (nitrogênio, fósforo e potássio) é prejudicial para o Brasil para a sua produção agrícola. Precisamos investir na produção desses insumos e também em alternativas a exemplo do uso dos resíduos da mineração que vem se tornado promissor dia após dia”, enfatiza Tramm.

Veja Oeste, 21/02/2023.

Fonte: globalfert.com.br